Guilherme Samaia inicia sua segunda temporada na Fórmula 2.

De equipe nova e ânimo renovado, piloto paulistano disputa a primeira rodada tripla da categoria neste final de semana no Bahrein competindo pela Charouz Racing System

Guilherme Samaia sente-se renovado. O piloto paulistano de 24 anos começa neste final de semana, no Bahrein, a sua segunda temporada na Fórmula 2, categoria imediatamente de acesso à Fórmula 1 e que teve em 2020 um dos melhores grids de sua história em termos de qualidade. Depois de um difícil ano de estreia, Samaia deixa a Campos e pilotará o carro #15 da Charouz Racing Systeam.

Guilherme foi o piloto que mais voltas completou nos três dias dos testes de pré-temporada no Bahrein no início do mês: 227, o equivalente a quase 1.230 quilômetros com o potente Dallara de 620 cavalos de potência. “Foi bom até para terminar de colocar o preparo físico em dia”, relata. O paulistano pôde se sentir mais à vontade com a nova equipe, o que possibilitou um desempenho mais competitivo entre os pilotos do grid.

A Fórmula 2 estreia novo formato neste final de semana. A temporada terá oito encontros, todos com três corridas por final de semana: duas menores, no sábado, sendo a primeira com a inversão dos dez primeiros do grid de acordo com o resultado da tomada de tempos; a segunda com a inversão dos dez primeiros segundo o resultado da primeira prova; e no domingo, a corrida mais importante e longa, cujo grid respeita a ordem estabelecida na tomada de tempos classificatória.

“Ansioso pelo início da temporada, agora em nova casa, com nova equipe. Os testes tanto do fim do ano como nos últimos da pré-temporada foram dias muito bons, muito positivos. Fui o piloto que mais deu voltas e acumulei muita quilometragem. O plano de testes era bem extenso, com muitos acertos testados. Foram dias de muito aprendizado. É um ânimo renovado depois do difícil ano de 2020, mas foram dificuldades que serviram para me deixar mais forte e mais focado para trazer melhores resultados”, disse o piloto de 24 anos, dono de dois títulos da F3 Brasil.

“Estou muito otimista depois dos últimos testes de pré-temporada. Como piloto que acumulou a maior quilometragem, eu saí muito satisfeito dos ensaios, tudo funcionou, aprendemos muito e vimos onde evoluir. Espaço para melhorar sempre tem. Ainda é muito difícil saber onde realmente estamos, é algo que todos estamos curiosos e o final de semana vai responder muitas perguntas. De qualquer forma, estou animado para começar na nova casa, no novo formato da F2. Não vejo a hora de baixar a viseira e botar para acelerar tudo com uma equipe que está me dando mais ferramentas para isso”, comentou Samaia, que terá o alemão estreante David Beckmann, de 20 anos, como companheiro de equipe.

P1 Media Relations