Antares H3

antares_h3_ueberland_gross1

O Centro Aeroespacial Alemão (DLR) e a Empresa de Pesquisa Long Aircraft GmbH desenvolveram o Antares H3 um sucessor poderoso do primeiro avião a hidrogênio do mundo, o Antares DLR-H2.

O H3 Antares destina-se a estabelecer novos padrões no tempo de vôo e escala. O projeto terá início em agosto de 2010, o primeiro vôo está previsto para 2011. Tecnicamente a nova aeronave irá basear-se na aviação Lange em Zweibrücken, produzido em série em 2004, no motor elétrico do planador Antares 20E, e na célula de combustível da aeronave Antares DLR-H2. O combustível utilizado é o hidrogênio em uma reação eletroquímica direta com o oxigênio do ar, sem combustão, é convertido em energia elétrica. Embora aconteça a reação de partículas, como o produto da reação produzida apenas água. Se o hidrogênio produzido for por energia renovável, o planador voa com CO2 neutro.
antares_h3_3_skizze_gross
[Desenho do Antares H3]

A idéia da agência Alemã espacial é fabricar um modelo com um alcance maior de vôo e que estabeleça uma trajetória e um teto de vôo maior que o H2, outra questão é realizar um tempo de vôo em torno de 50 horas contra apenas cinco horas do modelo anterior. O H3 é capaz de transportar cargas de até 200 kg. A aeronave terá uma envergadura de 23 metros e um peso de decolagem de 1,25 toneladas. Serão quatro o número de células com os tanques de Hidrogênio, dois a mais que o Antares H2

antares_h3_ueberland_gross1
[Simulação de vôo do Antares H3]

O Stuttgart DLR-Institut assume a construção do sistema modular de célula de combustível e da avaliação científica. The Long Research Aircraft GmbH é a responsável pela integração global e operação da aeronave. O projeto é financiado em parte pelo Ministério Federal dos Transportes, Obras e Desenvolvimento Urbano que lançou o Programa Nacional de Inovação e tecnologia do hidrogênio e da célula combustível (NIP).

antares-dlr-h2-kallo-lange_gross
[Modelo anterior Antares H2, já voou]

Texto: Gionei da Rocha
Imagens: DLR