Lubrificantes Automotivos

lubrificante10

Os lubrificantes são elementos fundamentais para o bom funcionamento do motor. Todo motor está montado com um conjunto mecânico que trabalha com várias peças móveis, em contato umas com as outras, gerando o atrito,  consequentemente o calor e o desgaste destes componentes.

Para evitar ou minimizar estes efeitos é necessário a ação dos lubrificantes.
Os lubrificantes automotivos são substâncias que se interpõem entre superfícies de contato em movimento, formando uma camada na superfície dos materiais, como se fosse uma fina película, que evita ou minimiza o contato entre as superfícies e o consequente desgaste e a geração de calor gerada pelo atrito.
lubrificante101

Os lubrificantes automotivos, em geral, são um conjunto sofisticado formado por óleos básicos refinados e aditivos de alto desempenho produzidos e testados sob as mais diferentes condições e aplicações. Os lubrificantes estão divididos em dois tipos, os óleos e graxas.
Óleos;
Minerais- petróleo ou derivado de petróleo.
Graxos – vegetal, extraídos de plantas com mamona, soja, oliva, girassol ente outros, ou animal.
lubrificante_2

Compostos – mistura de óleo graxo com óleo mineral.
Tecnologia sintética- mistura balanceada de óleos sintéticos e minerais.
Sintéticos- desenvolvidos em laboratórios com desenvolvimento técnico maior e adição de alguns aditivos sintetizados em laboratório como poliglicol, polialfaolefina e diesters.
Graxas;
São lubrificantes pastosos com alta viscosidade, formulados a partir de uma mistura de sabão metálico, óleos e aditivos.
Um grande número de usuários dos automóveis dá pouca importância aos lubrificantes por desconhecerem as suas funções. Se os lubrificantes tivessem apenas a função de lubrificar já seria um grande fator em dar atenção, pois as peças sem a película de óleo têm sua vida útil reduzida e o desempenho do motor é alterado.
lubrificante_5

Os lubrificantes ainda realizam as funções de colaborar com o resfriamento do motor, junto com o sistema de arrefecimento, mantendo a temperatura normal de funcionamento do motor, em torno dos 100ºC. O óleo lubrificante circula por dentro de galerias, colhendo o calor, até chegar novamente no cárter onde o óleo troca o calor com o meio externo e volta com temperatura mais baixa para dentro do motor.
Cabe ao óleo, também, as funções de prevenção contra a corrosão interna do motor, provocada pela ação de contaminantes no óleo derivados de reações com temperatura, ar e combustível de baixa qualidade. A função de manter o motor limpo por dentro com a ação de aditivos próprios, detergentes e dispersantes que evitam o acúmulo de sujeira. Promover a rápida lubrificação do motor na partida a frio é uma das principais funções do óleo, já que, o motor quando parado recolhe todo o óleo no cárter e as peças estão secas sem lubrificação. Contando que o motor leva de 8 a 12 segundos para lubrificar as peças temos o motor trabalhando algumas rotações a seco, então, o óleo deve ser de tal viscosidade, indicada pelo fabricante, para reduzir ao mínimo o efeito de desgaste dos componentes móveis do motor. O óleo ainda realiza a função de vedar o sistema de combustão junto com os anéis quando lubrifica a parede interna do cilindro. Os anéis deslizam na parede do cilindro e o óleo trata de vedar a centesimal folga entre o anel e cilindro.
lubrificante_1

Como reconhecer o lubrificante ideal para cada carro? A escolha do lubrificante deve ser feito analisando: composição, viscosidade, desempenho do lubrificante.
Cada fabricante de óleo adiciona diferentes aditivos aos óleos básicos que compõem os lubrificantes. São estes aditivos, que têm como função principal aumentar o desempenho dos óleos lubrificantes
Óleos para usos diferentes possuem aditivos e formulas diferentes. O aditivo exerce sua função ao mesmo tempo em que é consumido pelo seu uso interno no motor de combustão. Não é recomendável acrescentar aditivo no óleo usado mais sim substituí-lo.
Os lubrificantes saem de fábrica de acordo com formulações testadas e aprovadas pelas montadoras. Portanto já são aditivadas. Qualquer alteração na formulação e composição não é necessária e pode provocar situações de risco. As montadoras não recomendam uso de aditivos em óleos de motor.
O que é viscosidade? É a resistência de um líquido ao escoamento, exemplo;
Água- baixa viscosidade
Mel- alta viscosidade
Óleo monoviscoso- apresenta maior variação na viscosidade com as mudanças de temperatura. Ex: SAE 90
Óleo multiviscoso- apresenta viscosidade adequada, que permite boa lubrificação mesmo com ampla variação de temperaturas. Ex: SAE 15w50 sl.

Texto: Gionei da Rocha
Imagem: Alan W. Spring