Estequiometria dos Motores de Combustão Interna

comp_01

Vimos em algumas matérias que o motor de combustão interna, ciclo Otto, depende de uma mistura de ar mais combustível para produzir uma explosão e gerar força motriz às rodas do automóvel. No seu ciclo de quatro tempos o motor absorve uma quantidade de ar e uma quantidade de combustível, proporcional, chamada de razão estequiométrica ou apenas estequiometria.

Todo combustível queima e reage com o ar em uma determinada proporção e para qualquer tipo de volume. Esta taxa não deve, apesar de parecida, ser confundida com a taxa de compressão. A razão estequiométrica de um motor a gasolina com 22% de etanol fica em torno de 13,3:1, ou seja, em qualquer cilindrada ou volume a razão será sempre de 13,3 partes de ar para 1 parte de gasolina. Nos motores com diferentes combustíveis esta razão muda. Nos motores a álcool(etanol) esta taxa fica em torno de 9,0:1 resultante do tipo e característica do combustível mais ou menos calorífico, justificando um consumo maior nesses tipos de motores com etanol. O diesel tem uma taxa com apenas 15,2:1 o que torna esses tipos de motores mais econômicos. O gás fica em torno de 15,4:1 e a gasolina pura em torno de 14,7:1.

Texto: Gionei da Rocha
Imagem: Mídia Digital