Automóveis Ecológicos, O Futuro Chegou!

2011 Chevrolet Volt Production Show Car

Automóveis que não poluem o meio ambiente ,com quatro ou cinco lugares, com autonomia de 400 km á 500 km e com toda tecnologia dos automóveis atuais no que se refere a conforto, segurança e economia não é apenas conceito futurista para daqui a alguns anos adiante. Esta tecnologia já está disponível para os usuários.

A tendência das tecnologias limpas no modo de propulsão para os automóveis estão ganhando cada dia mais espaço no meio automotivo. A conscientização global para a preservação ambiental fez surgir na indústria automobilística uma classe de automóveis “clean”, limpos que trazem uma tecnologia inovadora para os motores.

2011 Chevrolet Volt Production Show Car
[Imagem: Copyright Serious Wheels]

Os motores elétricos são uma saída alternativa da indústria automotiva. A eletricidade é considerada um combustível limpo por que não é derivada do petróleo e pode ser gerada por vários meios como a triboletricidade que é a eletricidade por atrito, a termo eletricidade que é a eletricidade gerada pelo calor, a foto eletricidade que é a eletricidade gerada pela luz, a eletricidade gerada pela reação química, eletroquímica e temos também a eletricidade gerada pelo magnetismo. A tecnologia das baterias dos motores elétricos já está bem avançada onde se aplica o conceito dos íons de Lítio (Li) que consegue armazenar energia. Inclusive no automóvel “Tesla” as baterias dispõem de energia para que o automóvel percorra um trajeto de até 400 Km sem colocar uma gota de combustível derivado de petróleo na atmosfera.
2007-volvo-recharge-concept-front-and-side-plugged-in-1920x1440
[Imagem: Copyright Serious Wheels]

Outra tecnologia que está disponível como combustível está sendo utilizada pela BMW em alguns testes de protótipos e vem se mostrando extremamente eficiente. O Hidrogênio(H) como combustível é uma alternativa que a BMW enxergou para questão ambiental. Praticamente todos os principais fabricantes de automóveis do mundo já dispõem de projetos próprios de automóveis utilizando a célula de combustível para gerar energia elétrica. O Hidrogênio(H) líquido que está armazenado em tanques de alta pressão reserva uma quantidade suficiente deste líquido, quando sob pressão, e enviam à célula para que possa gerar energia elétrica proporcionando ao automóvel uma autonomia de até 600 km.
2008 Chrysler ecoVoyager Concept
[Imagem: Copyright Serious Wheels]
2008 Dodge ZEO Concept
[Imagem: Copyright Serious Wheels]

A compreensão do funcionamento da célula de combustível implica em entender o processo da eletrólise. O Hidrogênio(H) que vem dos tanques entra na célula e é forçado, através da reação da eletrólise, a passar por membranas onde separam o átomo do elétron, a grande quantidade de elétrons que se separam dos seus átomos formam uma corrente elétrica. Esta corrente elétrica chega até o motor elétrico que desempenha sua função de servir como um motor de propulsão no lugar do antigo motor de ciclo Otto. O elétron volta para célula de combustível, se junta novamente com o hidrogênio, e se une com o átomo de oxigênio, devido a reação eletrolítica, formando a molécula da água que vimos sair pelo escapamento, água pura, da sua mais pura molécula.
The Ford Edge with HySeries(TM) Drive
[Imagem: Copyright Serious Wheels]

Os bio-combustíveis, derivados das plantas, são considerados uma excelente alternativa como meio de energia na alimentação dos motores a explosão interna ciclo Otto ou Diesel. O Diesel, combustível derivado do petróleo, aos poucos está sendo substituídos pelo biodiesel proveniente do óleo de plantas como mamona, girassol, soja, dendê e também oliva. Estes óleos são considerados biodegradáveis com baixas emissões de poluentes. Outro combustível derivado de planta é o álcool ou etanol que podem ser extraídos do milho e principalmente da cana-de-açúcar. O Brasil é pioneiro no cultivo, extração e processamento do álcool alcançando em 2007 o número de 50% de sua frota com este tipo de tecnologia aplicada nos automóveis. As grandes potências já estão comprando a tecnologia “Flex” do Brasil e adotando pouco a pouco esta tecnologia em sua frota onde consciência e necessidade estão se tornando, tanto por parte das indústrias como por parte dos usuários, uma atitude de mudança e ação para com a preservação do eco sistema do planeta.

Texto: Gionei da Rocha
Imagens: Copyright Seriouswheels