Características do Sistema OBD/OBDII

Postado em: 08/2013

IMG_0520

Vamos apresentar nessa matéria os requisitos básicos e as características de um sistema padrão OBD e ou OBDII.

Todo sistema padrão ODB, seja ele da primeira ou segunda geração, deverá conter as características de possuir a capacidade de supervisionar todos os dispositivos relacionados com as emissões, sejam eles do motor ou transmissão automática.
O sistema deve também armazenar as falhas em uma memória de acesso, acessível por um scanner “genérico”e também obter a capacidade de gerar o diagnóstico, via aviso luminoso, através da lâmpada de aviso de falhas, MIL (“Malfunctio Indication Lamp”).

Esse aviso luminoso é uma lâmpada, conforme figura abaixo, que gera piscadas e criam um código, esse código “padrão” ou DTC está relacionado a uma falha de um sensor ou subsistema eletrônico do automóvel. Dessa maneira o reparador sabe o que de errado pode está acontecendo no motor ou transmissão.

IMG_0520

Quando o reparador necessitar, um scanner, genérico, pode ser utilizado para realizar a leitura em uma linguagem mais acessível e visível para facilitar o diagnóstico. Nesse sentido o conector de diagnóstico, também conhecido por DLC, para acesso, também será padrão para as montadoras que os adotam, como mostra a figura abaixo, com o conector circulado na cor vermelho.

IMG_0504.1

No Brasil existe uma resolução do CONAMA, a de número 354/2004 de 13/12/2004, que “dispõe sobre os requisitos para adoção de Diagnose de Bordo-OBD, nos veículos automotores leves de ciclo Otto, objetivando preservar a funcionalidade dos sistemas de controle de emissão”.

IMG_0477

Esta resolução complementa outras anteriores como, por exemplo, a CONAMA 315/2002 que estabelece as fases IV e V do PROCONVE (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículo Automotor estabelecido pela Resolução CONAMA 18/1986), no sentido de promover a adoção das novas tecnologias que permitam atingir os níveis de emissões estabelecidos para as referidas fases. A resolução 354/2004 prevê a utilização de sistema de diagnose de bordo (OBD) a ser introduzido em duas etapas complementares e consecutivas denominadas OBDBr-1 e OBDBr-2.

IMG_0485

Atualmente, 5 protocolos de leituras para o sistema OBD e OBDII estão rodando nas montadoras: VPW; PWM; ISO 9141; KWP 2000, ISO 15765 (CAN). Este é o protocolo obrigatório nos Estados Unidos, a partir de 2008. Esta informação não é relevante para o diagnóstico e reparo. No entanto, é de fundamental importância na hora de avaliar a capacidade de diagnóstico do equipamento de teste (“scanner”) utilizado.
Texto e Imagens: Gionei da Rocha



Comentários (0) Abrir comentarios